Um resumo da história da Cidade de Cordeiros -BA

Foto panorâmica da Cidade

1.  PERFIL

Cordeiros é um município baiano. Seus habitantes são chamados de Cordeirenses. O município se estende por 535,5 km² e tinha 8.614 habitantes na data do último censo. A densidade populacional é de 16,1 habitantes por km² no território do município.

Vizinha aos municípios de Condeúba, Piripá e São João do Paraíso, Cordeiros fica a 32 km a nordeste de São João do Paraíso. Situada a 718 metros acima do nível do mar, Cordeiros tem as seguintes coordenadas geográficas: latitude: 15 ° 2 24 sul, longitude: 41 ° 56 6 oeste. O prefeito de Cordeiros chama-se DELCI ALVES LUZ.

  

1.  HISTÓRIA DO MUNICÍPIO

Tudo começou com o Capitão Manoel Cordeiro da Silva, que nasceu em 1805 na cidade de Rio de Contas, no estado da Bahia, filho de português que morou em uma cidade mineira na cidade de Rio de Contas em meados da década de 1870 e menores casados. A mulher Carlota Alves, do Curralinho de Livramento, hoje Dom Basílio, uma jovem pertencia a duas das famílias mais importantes da cidade, Alves e Gomes.

O casal então se estabeleceu no distrito de Santo Antônio da Barra, hoje município de Condeúba.

Conforme se estabeleceu sua casa na cidade, identificada como uma das mais poderosas organizações políticas e sociais, sempre teve uma forte influência na sociedade. E, com uma uma grande oportunidade de expandir as zonas agrícolas modernas e de paz.

Morava com a família Fazenda Boa Vista, que mora no norte da Índia. Na zona da Carlota houve uma verdadeira luta, empenho e tremor e sempre artes marciais, e serviço doméstico e o mais importante: Zepherino, Bernardino, Rodrigo, Joaquim, José, Manoel, Rita Angélica, Maria Rosa, Maria e Ana. .

Em metade do século XIX, o Comandante Manoel Cordeiro da Silva deu início à construção da capela do Sr. Bom Jesus da Boa Vida numa freguesia de Condeúba que constituía uma aldeia do Candeal. Influenciar a família do Capitão Manoel Cordeiros, foi o caso com o rebate dos Cordeiros em 1938. Em 1944, ultrapassou os finalistas Mandacaru e Cordeiros numa operação comunal em 1961.

Em 1894, foi construída outra aldeia, batizada pelo Capitão Candeal em homenagem a uma espécie de trigo que produz uma farinha bem branca. Na época a cidade era 7º distrito de Condeúba e em 18 de agosto de 1928 foi criada e regulamentada pela Lei nº 2145/1928, sendo que em 10 de dezembro de 1928 ocorreram as primeiras eleições para Juiz de Paz no distrito de Candeal. lugar, nomeadamente Roberto Alves de Oliveira (61 votos), Antonio José Pena (53), José Capuchinho (45 votos), Terêncio José de Oliveira (10 votos), Manoel Cordeiro de Oliveira (07 votos) e Marcolino José Ribeiro (06 votos), naquela época era um ir e vir de uma mudança de poder. O então prefeito de Condeúba, a fim de vingar o colonialismo da cidade do Candeal, resolveu registrar a cidade aqui com o nome de uma árvore conhecida como madeira sem folha, MANDACARU, com todo aquele desentendimento houve uma luta pelo poder e uma vez emancipado, a escolha era entre Joaquim Gonçalves (que na época era vereador em Condeúba) e Jacinto Brás.

Acabou por ser rebatizada de Cordeiros com a constituição da freguesia em 1961. Elevada à categoria de comuna denominada Cordeiros, pela Lei Estadual nº 1605 de 28/12/1961, publicada no Diário da República de 31/12/1961, desmembrada de Condeúba. Sede no atual distrito de Cordeiros, ex-Mandacaru. Consiste na sede. Instalado em 4 de julho de 1963. Em uma divisão territorial de 31-XII-1963, o município é formado pelo distrito sede.

Capitão Manoel Cordeiro da Silva, falecido aos 82 anos na Fazenda Boa Vista. Em 5 de agosto de 1887, ele estava na capela do Senhor da Boa Vida, que ele havia construído; foi escrito em sua lápide“Fundador não só do santuário como da cidade de Cordeiros”.

Então, em 26 de março de 1889, às 15 horas e 30 minutos aos 72 anos, faleceu Dona Carlota Alves Cordeiro da Silva, esposa do capitão da Fazenda Boa Vista. Ela foi então enterrada na mesma capela ao lado de seu marido.

 Hoje a capela não existe mais, outra foi construída no local e o cemitério onde foram sepultados os famosos cordeirenses também foi retirado não se sabe o que foi feito com as lápides e ossos retirados na época. A capela após sua primeira reforma, entre os inúmeros pastores que passaram pela cidade desde sua construção, muitos contribuíram e se destacaram, como Padre Valdemar Moreira da Cunha, Dom Homero Leite Meira, Ladislau Klener, Darcílio, Paulo, Francisco, Vicente, Guiliano, Osvaldino, Waldech, Manoel, Antonio Alberto, Ademar e Tizziano.

Atualmente, Cordeiros - BA é uma cidade de pequeno porte que se caracteriza pela apresentação de novas oportunidades de negócios e pela alta regularidade de vendas ao longo do ano. Por outro lado, o baixo potencial de consumo deve ser levado em consideração.

O município de Cordeiros é considerado um polo local com pouca influência nos municípios vizinhos e está localizado no entorno da pequena região de Vitória da Conquista, que faz parte da grande região de Vitória da Conquista na Bahia. Dentro de sua área de influência, a cidade atrai o maior número de visitantes para a logística de transporte.

Com 8.600 habitantes, Cordeiros é o 24º município mais populoso da pequena região de Vitória da Conquista. O PIB da cidade gira em torno de R $ 0,1 milhão, com 56,7% do valor adicionado vindo da administração pública. Os serviços (29,2%) e a agricultura (8,7%) aparecem nessa ordem, enquanto a indústria (5,3%) detém a menor participação na economia da cidade.

Com essa estrutura, o PIB per capita de Cordeiros é de R $ 6 mil, inferior à média do estado (R$ 25,3 mil), da grande região de Vitória da Conquista (R $ 16,9 mil) e da pequena região. Região de Vitória da Conquista (R$ 18 mil).

Existem 574 empregos com carteira assinada no município, a ocupação predominante desses trabalhadores é a de professora de educação de jovens e adultos do ensino fundamental (1ª a 4ª série) (120), seguida de auxiliar de escritório (62) e zeladora (45). A remuneração média dos trabalhadores com carteira assinada na comunidade é de R$ 1,6 mil, abaixo da média estadual de R$ 2,3 mil.

A concentração de renda entre as classes econômicas em Cordeiros pode ser considerada elevada e está relativamente acima da média nacional. Os estratos de renda mais baixos (E e D) respondem por 86,2% do total da renda da cidade, enquanto os estratos mais altos representam 3,4%. Destaca-se a maior participação das classes populares na composição da renda da cidade, com concentração de 35,4 pontos percentuais acima da média nacional. Os grupos de alta renda têm uma participação de 14,3 pontos abaixo da média.

Do total de empregados, os três mais ocupados são: administração pública em geral (445), fabricação de artefatos de cerâmica e argila queimada para uso na construção (32) e confecção de roupas (16).

 

Valdivino Alves de Sousa, é Professor, licenciado em Pedagogia e      Matemática, Contador e Bacharel em Direito. 

 

2.   REFERÊNCIAS

CARAVELAS. Dados estatísticos. Disponível em:<https://www.caravela.info/regional/cordeiros---ba>. Acesso em: 10 de Dez. 2021

  CIDADE BRASIL. Município de Cordeiros. Disponível em: <https://www.cidade-brasil.com.br/municipio-cordeiros.html> . Acesso em: 11 de Dez. 2021

  FAMILY SEARCH. Cordeiros, Bahia – Genealogia. Disponível em:< https://www.familysearch.org/wiki/pt/Cordeiros,_Bahia_-_Genealogia>. Acesso em: 12 de Dez. 2021

  PREFEITURA MUNICIPAL DE CORDEIROS. História. Disponível em: <https://cordeiros.ba.gov.br/pagina/78_Historia-da-Cidade.html>. Acesso em: 14 de Dez. 2021

  SME CORDEIROS. A História de Cordeiros. Disponível em: <http://smecordeiros.blogspot.com/p/historia-cordeirene.html>. Acesso em: 14 de Dez. 2021

 

             

Virou notícia publicamos aqui

Assuntos sobre: Educação, Comportamento, entre outros. 

                                     

COMPARTILHE
Postagem Anterior
Próximo Post

Textos escolhidos pra você: